Despedida Adiada (Aldo Della Monica)

Poesia da Despedida Adiada / por Aldo Della Monica

Despedida Adiada (Aldo Della Monica) A Despedida Adiada: existe uma despedida que ainda espera pela separação definitiva. Despedida traz a angústia de não saber do desfecho final. Existe, sim, uma dor maior que aquela da despedida definitiva de uma pessoa querida.É a despedida adiadaA despedida pela perda que ainda não aconteceuA despedida em vidaQuando a … Ler mais

Sonhos são jovens, meninos e meninas

Sonhos são jovens, meninos e meninasDe todas as estaçõesFrutos, calor, flor, aconchegoRespostas ao medoPerfume dos segredosque ocultamos,só nossos, que são Sim, “sonhos não envelhecem”Apenas se apagam sem ter envelhecidoApenas se perdem em meio a arrependimentosdas coisas que não temos podidodas coisas que não temos sentidodas coisas que não temos vividodo tempo que virou a página … Ler mais

Brisa da Tarde – outono: Vista-a com sua nudez contundente

brisa da tarde

Brisa da tarde toca-lhe os seios para o desejo maiúsculo de simples desejar doce manjar terreno inesgotável de pleno a cada encontro Poupa-lhe o medo ancestral, as paixões… os romances e seus romancistas; os analistas e suas análises Rasga-lhe as vestes. Vista-a com sua nudez mais contundente Sopra o silêncio das palavras em seus lábios … Ler mais

Soporífica Midia: A midia que Entorpece e Acomoda

soporifera midia aldo della monica crônica poesia dellamonica

O assassino e a vítima. O corrupto, o corruptor e aquilo que foi roubado. O juiz, o promotor, o julgado e o mal julgado. O advogado. O ministro, isto aquilo; o usurpador, recatada e o menino. O médico estuprador e a estuprada. A filha monstruosa e os pais sacrificados. Os pais monstros e a filhinha … Ler mais

Que deusa é esta, meu Deus ?

Qual é essa deusa, meu Deus_ Que sempre esteve bem aqui e andava tão esquecida - humildemente aquietada pelas lentes pagãs do cotidiano_ (1)

Que deusa é esta, meu Deus ?! Que deusa é esta ? grega? romana?!InsanaQue faz caber em um sonhoTantos sonos não dormidosComo que não se devesse acordar Frescor de uma manhã verdeGotas de orvalho já impossívelImpossível? !Na pele branca, alvaLábios de romã, deusa romanaBeijo de cereja, deusa grega Que deusa é essa que visita o … Ler mais

Pele e Profundidade

pele e profundidade dellamonica

Fim de tarde chuvosadia útil de semanasemana útil do mesmes útil do anonão aqui ! aqui, a utilidade é de outra ordemnem ordem temnada previsívelportas abertas ao infinito de água chão de lajotas e um tapetão de sisalcheiro do peixe do fornoum incenso delicadinhoum vinhoum ninho só horizontefonte de sonhosaqui, perto dos meus lábios um … Ler mais