Marvin cantava o amor. Foi morto pelo próprio pai…

Em 1 de abril de 1984, um dia antes de completar seu 45º aniversário, Marvin foi assassinado com um tiro por seu próprio pai, após uma briga iniciada quando os pais de Gaye discutiam sobre a perda de documentos de negócios.

Justamente Marvin, que cantava o amor vencendo o ódio como em sua emblemática canção “Whats going on”

OUÇA ABAIXO UM DOS SUCESSOS MAIS MARCANTES DE GAYE

What’s Going On” é uma canção escrita por Marvin Gaye, Renaldo Benson e Al Cleveland, inspirada por um fato real de brutalidade policial testemunhada por Benson na Califórnia dos anos 60. Lançada como single em 10 de janeiro de 1971 pela Tamla, uma subsidiária da Motown Records, e posteriormente no álbum homônimo de Gaye em março do mesmo ano, ela se tornou um grande sucesso comercial e de crítica, vendendo cerca de dois milhões de cópias, chegando ao segundo lugar da lista pop e ao primeiro da lista R&B da Billboard

Com uma orientação musical que passa pelo soul, funk, jazz, gospel e orquestração de música clássica, sua letra de cunho político é uma meditação sobre os problemas e transformações sociais que afligiam os Estados Unidos e o mundo na época. Foi eleita pela revista Rolling Stone como a 4ª maior canção de todos os tempos  e pelo Metro Times de Detroit como a nº1 entre as “100 Maiores Canções de Detroit de Todos os Tempos”.


Marvin Gaye (Washington, 2 de abril de 1939 — Los Angeles, 1 de abril de 1984), nascido Marvin Pentz Gay, Jr., foi um cantor popular de soul e R&B, arranjador, multi-instrumentista, compositor e produtor. Ganhou fama internacional durante os anos 60 e 70 como um artista da gravadora Motown.

O início da carreira do cantor foi em 1961, na Motown, onde Gaye rapidamente se tornaria o principal cantor da gravadora e emplacaria numerosos sucessos durante os anos sessenta, entre eles “Stubborn Kind of Fellow”, “How Sweet It Is (To Be Loved By You)”, “I Heard It Through the Grapevine” e vários duetos com Tammi Terrell, incluindo “Ain’t No Mountain High Enough” e “You’re All I Need to Get By”, antes de mudar sua própria forma de se expressar musicalmente. Gaye é importante por sua luta por produzir seus sucessos, mas criativamente restritivo – no processo de gravação da Motown, intérpretes, compositores e produtores eram geralmente mantidos em áreas separadas.

Com seu bem-sucedido álbum What’s Going On, de 1971, e outros lançamentos subsequentes – includindo Trouble Man, de 1972, e Let’s Get It On, de 1973, Gaye, que vez ou outra compunha canções para artistas da Motown no início da sua carreira, provou também que poderia tanto escrever quanto produzir seus próprios discos sem ter de confiar no sistema da Motown. Ele é também conhecido por seu ambientalismo, talvez mais evidente na canção “Mercy Mercy Me (The Ecology)”.[1]

Durante os anos setenta, Gaye lançaria outros notáveis álbuns, includindo Let’s Get It On e I Want You, além de ter emplacado vários sucessos, como “Let’s Get It On” e “Got to Give It Up”. Já no começo dos anos oitenta, seria a vez do hit “Sexual Healing“, que lhe rendeu – antes de sua morte – dois prêmios Grammy. Até o momento de ser assassinado pelo seu pai, em 1984, Gaye tinha se tornado um dos mais influentes artistas da cena soul. Em 1996, Gaye foi homenageado na 38º cerimônia do Grammy Awards.

A carreira de Marvin tem sido descrita como uma das que “abarcam toda a história do R&B, do doo-wop dos anos cinquenta ao soul contemporâneo dos anos oitenta.”[2] Críticos têm também afirmado que a produção musical de Gaye “significou o desenvolvimento da black music a partir do rhythm’n blues, através de um sofisticado soul de consciência política nos anos setenta e de uma abordagem maior em assuntos de cunho pessoal e sexual.”[3]

MORTE TRÁGICA

Marvin ameaçou cometer suicídio diversas vezes, depois de numerosas e amargas brigas com seu pai, Marvin Pentz Gay Sr. 

Em 1 de abril de 1984, um dia antes de completar seu 45º aniversário, Marvin foi assassinado com um tiro por seu próprio pai, após uma briga iniciada quando os pais de Gaye discutiam sobre a perda de documentos de negócios.

A ironia é que Gaye foi morto por uma arma calibre 38 que ele próprio havia dado de presente para seu pai. Seu corpo foi cremado e as cinzas lançadas no Oceano Pacífico.[14] Marvin Pentz Sr. foi condenado a seis anos de prisão, após ser declarado culpado por homicídio. A acusação de assassinato foi abandonada após médicos descobrirem que ele estava com um tumor cerebral. Marvin Pentz Sr passou o final de sua vida em um asilo, onde morreria de pneumonia em 1998.

LEIA MAIS AQUI ►► MARVIN GAYE

#margingaye #whatsgoingnon #motown

OUÇA TAMBÉM:

Beyoncé – Halo seu primeiro e definitivo sucesso

Deixe uma resposta