O exército de Freiras e o Menininho

Historinha que ouví aos 8 anos de idade contada pela freira do Educandário na aula de Religião, lá pelo ano de 1960

o exército de freiras

Vejam o nível de comprometimento da Igreja com o poder estabelecido. A lavagem cerebral dos pequenos alunos de um Educandário católico era estupidamente agressiva e sem pudores. Sob o manto do medo estimulado pelos EUA, a Irmã teve a coragem de aterrorizar os garotinhos de então com esta história fantasiosa. Nós, os pequenos, nem imaginávamos onde ficava Cuba, muito menos o que significava uma foice junto a um martelo. A Irmã, certamente orientada pelos padres da Igreja Cristo Rei, contou-nos uma singela historinha “infantil”: 

Era uma vez um menino muito católico que vivia rezando e amava falar a palavra Deus.Deus !
Deus ! Deus !… dizia o menininho enquanto fechava os olhos ou olhava para o céu.

Tudo estava bem na terra do menininho até que um dia, vieram os comunistas.

Ao perceber aquele menininho que vivia falando Deus, Deus,… um soldado comunista chegou perto dele e ordenou:

– Pare de falar a palavra Deus !

O menininho, com toda a sua fé, não obedeceu ao soldado e continuava: Deus… Deus.

Irritado, o soldado comunista chegou perto do menino, apanhou-lhe a língua e cortou a pontinha.

Mesmo assim, sangrando, o menino continuava: Deu….Deux….Deuxxxxx
Inconformado e raivoso o comunista, voltou a tomar a lingua do menino e cortou-a até à metade.

Chorando de dor, com toda a sua fé, o menino continuava como podia: d…..eu…..de…..d~

Finalmente o monstro comunista deu o golpe final cortando o que sobrara da língua do menino.
Caído ao chão, o menininho olhou ainda uma vez para o céu e…..morreu !

Esta “singela” historinha foi contada para toda a classe dos meninos no Educandário Espírito Santo por uma irmã, em sua aula de religião.

A revolução cubana estava em curso.
E nós, no curso primário, 3o.Ano
A “contação” da historinha não é ficção. A freira contou a historia desse jeito.

  • EU, JAMAIS ME ESQUECÍ DESTA “LINDA HISTORINHA”.

Aldo Della Monica

6 comentários em “O exército de Freiras e o Menininho”

  1. Exatamente como hoje, os elitizados pobres do Brasil vivem ameaçando a queda do país no regime “comunista”, quando tal regime nem em Cuba nem na China prosperou, sendo assaltado pelo mercado. Mas aqui, grita-se que este ou esta política é comunista e que deveria ir para Cuba, enquanto a camarilha que assaltou o governo entrega nossas riquezas para os gringos. Essa lavagem cerebral ainda perdura. Pobre Brasil! Pobres brasileiros!

    Responder
  2. É mesmo um grande prazer ler essa matéria pois me deu boa informação por ter ido direto ao ponto. Quero deixar meu agradecimento e ressaltar que valeu mesmo a pena, pois aprendi algo mais sem rodeios. Parabéns mesmo.

    Responder
  3. Della Mônica, exatamente neste ano (1960), depois de uma longa preparação para a Primeira Comunhão, durante uma reunião na Nave da Igreja, faltando apenas a 5 dias para a grande data, o Padre Batalha sem mais nem menos dirigiu-se a mim se soltou na bucha no meio de todo mundo em alto e bom som:
    -“VOU CONSULTAR O BISPO SE VOCÊ VAI PODER RECEBER A COMUNHÃO”.
    Como continuei calado ele prosseguiu:
    -“É PORQUÊ VOCÊ É FILHO DE COMUNISTAS”.

    Responder
    • Pois é meu bom, José Paz… A igreja católica daqueles tempos fazia exatamente o que os evangélicos fazem hoje: entorpecem a consciência dos fiéis com as mais despropositadas mentiras…. Triste e pobre povo !

      Responder

Deixe uma resposta