Por favor, acredite em mim ! Ainda que pareça mentira

😇 POR FAVOR… ACREDITE EM MIM (AINDA QUE PAREÇA MENTIRA)

Confesso que se fosse um outro pai a contar-me, eu não acreditaria.

Certamente diria que é coisa de pai novo, que põe ternura em tudo onde pousa o olhar.

Mas, por favor, me dê um crédito !

Meu primeiro filho nascera. Houve quem me desse os parabéns por ser o pimpolho um homenzinho.

Eu não me importava absolutamente com o gênero que o rebento escolhera para vir ao mundo.

Era a minha cria: Sim, MINHA!

Como se, naquele momento, aquele menininho não fosse cria também daquela que era a grande responsável por sua existência, a qual mal acabara de sair da sala de parto.

Estávamos lá, no corredor da maternidade, em frente àquele aquário onde ficam todos os pimpolhinhos recém nascidos. Estávamos ali eu, o avô, um amigo do avô e o futuro padrinho do menino.

Eis que, aproxima-se, então, a enfermeira, do outro lado do vidro… e nos apresenta aquele charutinho de gente.

Como se o estivesse inaugurando para seu mundo.

Estávamos lá, um babão e mais três “desconhecidos” do menino.

Desconhecidos sim…Tenho certeza disso….Pois foi só a moça que o carregava virar aquele rostinho em nossa direção e o óbvio milagre aconteceu:

– Adivinhem para quem o bambino olhou primeiro ?

Não sei se por ser eu aquele que tinha a mais expressiva cara de palhaço… não sei se porque, exibia eu a bába mais abundante… ou se estava ali, à minha frente, um geniozinho que, mal nascera, e já começava a identificar sua árvore genealógica….

Já sei ! Você não está acreditando né ?

Tudo bem!

O importante é que aquele olharzinho estava gravado nesta memória desde aquele dia.

Há exatos 34 anos. Trinta e quatro anos desde o dia em que, pela primeira vez nesta vida, fui olhado como PAI…

(Aldo Della Monica)😇

Deixe uma resposta