Vinhos de Bordeaux

A região de Bordeaux localiza-se a sudoeste da França, próxima ao Oceano Atlântico. Os vinhedos acompanham os cursos dos rios Garonne e Dordogne que desembocam no Gironde até o seu estuário.

Bordeaux é a principal cidade da região e um dos mais importantes portos da França.

As estatísticas dessa região são totalmente impressionantes. Bordeaux é o maior vinhedo demarcado em extensão do mundo. É também, o maior produtor de vinhos finos. São aproximadamente 13 mil propriedades que cultivam cerca de 100 mil hectares e produzem (anualmente) 660 milhões de garrafas.

Características

Devido ao bom número de rios que abastece a região, Bordeaux não precisa se preocupar com suas necessidades hídricas. O clima é oceânico temperado. A diversidade de solos é incrível: graves (cascalhos com areia), argilo-calcário, argiloso, arenoso e cascalhado.

As principais castas tintas cultivadas são:

Cabernet Sauvignon: Casta de amadurecimento mais tardio, precisa de solos mais quentes e secos, do tipo arenoso do tipo arenoso (regiões de Médoc e Graves). Empresta ao vinho a capacidade de guarda, os taninos, a acidez e aromas de frutas vermelhas e pimenta.

Merlot: É a casta tinta mais cultivada em Bordeaux. Amadurece mais cedo, precisa de solos mais frescos e argilosos (regiões de Pomerol e Saint-Emilion). Responsável pela cor, álcool, maciez e redondeza. Origina vinhos encorpados que evoluem mais rápido e que apresentam aromas de caça e ‘sous-bois’.

Cabernet Franc: Casta menos utilizada, porém muito importante. Também é responsável pelo álcool nos vinhos. Os aromas tendem para terrosos e animal. É muito cultivada em Saint-Emilion.

Principais regiões

Bordeaux possui 57 AOC’s que estão agrupadas nas principais sub-regiões. As melhores são:

Médoc: Significa “terra do meio” porque está localizada entre o Atlântico e o estuário do Gironde, ao norte da cidade de Bordeaux. O solo é pobre, filtrante e quente, perfeito para a maturação completa da Cabernet Sauvignon. Seus vinhos são mais robustos, encorpados e com excelente potencial de guarda. Possui 8 denominações: Médoc e Haut-Médoc (regionais); Saint-Estèphe, Pauillac, Saint-Julien, Listrac-Médoc, Moulis e Margaux (comunais);

Graves: Região abaixo da cidade de Bordeaux que acompanha o curso do Garonne. O solo é mais arenoso e argiloso, produzindo vinhos tintos mais encorpados. Sua melhor denominação é Pessac-Léognan;

Sauternes e Barsac: Está localizada a 40 quilômetros ao sul da cidade de Bordeaux. Possui um microclima muito particular que propicia o aparecimento do fungo Botrytis Cinérea. Esse fungo é responsável pelo ataque às uvas e consequentemente ao aparecimento do famoso vinho de sobremesa Sauternes. Sua principal casta é a Sémillon, seguida pela Sauvignon Blanc e Muscadelle;

Entre-Deux-Mers: Está situado entre os rios Garonne e Dordogne, em encostas suaves e pequenos vales. A região produz mais brancos que tintos e as principais castas são: Sémillon e Sauvignon Blanc;

Libournais: Esta região localiza-se na margem direita do rio Dordogne, ao redor da cidade de Libourne. Seu vinhos são quase que exclusivamente tintos e a casta predominante é a Merlot. As principais denominações são: Saint-Emilion, Pomerol e Fronsac.

Classificação

A tipicidade dos vinhos e vinhedos de Bordeaux se deve a existência de uma hierarquia entre os diferentes terrenos (crus) das várias denominações. Existem muitas sub-regiões, apelações e châteaux, portanto, seria melhor dividirmos os vinhos em 3 categorias:

Genéricos: São os vinhos (brancos, rosés e tintos) que podem ser feitos em qualquer parte de Bordeaux. Correspondem hoje por aproximadamente 45% da produção. Exemplo: Bordeaux Rouge e Bordeaux Supérieur.

Regionais: São os vinhos feitos numa sub-região específica. Exemplo: Médoc, Haut-Médoc, Graves e Sauternes.

Comunais: São os vinhos mais procurados. Além de pertencerem a uma sub-região específica, indicam a comuna (lugarejo) onde foram feitos. Exemplo: Margaux, Pauillac e Pomerol.

O termo “cru” surgiu na Borgonha e indica uma determinada parcela de terra (terreno) que produz um vinho específico cujas características se repetem na mais variadas safras, ou seja, na Borgonha é o terreno que recebe a denominação “cru”.

Em Bordeaux é diferente. É a propriedade (chateaux) que recebe a classificação.

Em 1855, por conta da Exposição Universal de Paris de 1856, o sindicato dos corretores de vinhos de Bordeaux classificou apenas os vinhos do Médoc com base no preço. Fora classificados 58 vinhos (propriedades) em 5 crus: Premiers Cru, Deuxièmes Cru, Troisièmes Cru, Quatrièmes Cru e Cinquièmes Cru.
Hoje são 61 vinhos.

Premiers Crus

Ch.Latour (Pauillac);
Ch.Lafite-Rothschild (Pauillac);
Ch.Mouton-Rothschild (Pauillac);
Ch.Margaux (Margaux);
Ch.Haut-Brion (Graves – Pessac).

Deuxièmes Crus

Ch.Branc-Cantenac (Margaux);
Ch.Dufort-Viviens (Margaux);
Ch.Lascombes (Margaux);
Ch.Raussan-Ségla (Margaux);
Ch.Rauzan-Gassies (Margaux);
Ch.Pichon Longueville Baron (Pauillac);
Ch.Pichon Longueville Comtesse de Lalande (Pauillac);
Ch.Cos d’Estournel (Saint-Estèphe);
Ch.Montrose (Saint-Estèphe);
Ch.Ducru-Beaucailou (Saint-Julien);
Ch.Gruaud-Larose (Saint-Julien);
Ch.Léoville-Las-Cases (Saint-Julien);
Ch.Léoville-Poyferré (Saint-Julien);
Ch.Léoville-Barton (Saint-Julien).

Troisièmes Crus

Ch.La Lagune (Ludon);
Ch.Boyd-Cantenac (Margaux);
Ch.Cantenac-Brown (Margaux);
Ch.Desmirail (Margaux);
Ch.Ferriére (Margaux);
Ch.Giscours (Margaux);
Ch.d’Issan (Margaux);
Ch.Kirwan (Margaux);
Ch.Malescot-Saint-Exupéry (Margaux);
Ch.Marquis d’Alesme-Becker (Margaux);
Ch.Palmer (Margaux);
Ch.Calon-Ségur (Saint-Estèphe);
Ch.Lagrange (Saint Julien);
Ch.Langoa (Saint Julien).

Quatrièmes Crus

Ch.La Tour-Carnet (Haut-Médoc);
Ch.Marquis de Terme (Margaux);
Ch.Pouget (Margaux);
Ch.Prieuré-Lichine (Margaux);
Ch.Duhart-Milon-Rothschild (Pauillac);
Ch.Lafon-Rochet (Saint-Estèphe);
Ch.Beychevelle (Saint Julien);
Ch.Branaire-Ducru (Saint Julien);
Ch.Saint-Pierre (Saint Julien);
Ch.Talbot (Saint Julien).

Cinquièmes Crus

Ch.Belgrave (Haut-Médoc);
Ch.Camensac (Haut-Médoc);
Ch.Cantemele (Haut-Médoc);
Ch.Dauzac (Margaux);
Ch.Du Tertre (Margaux);
Ch.Batailley (Pauillac);
Ch.Haut-Batailley (Pauillac);
Ch.Clerc-Milon (Pauillac);
Ch.Croizet-Bages (Pauillac);
Ch.Grand-Puy-Ducasse (Pauillac);
Ch.Grand-Puy-Lacoste (Pauillac);
Ch.Haut-Bages-Libéral (Pauillac);
Ch.Lynch-Bages (Pauillac);
Ch.Lynch-Moussas (Pauillac);
Ch.Mouton-Baronne Philippe (Pauillac);
Ch.Pédesclaux (Pauillac);
Ch.Pontet-Canet (Pauillac);
Ch.Cos-Labory (Saint Estèphe).

Acontece que muitos vinhos ficaram de fora. Esse descontentamento fez surgir o “Syndicat des Crus Bourgeois du Médoc” que criou uma lista paralela dos outros bons produtores. Em 2003 essa lista se tornou oficial. Foram classificados mais 247 produtores do Médoc. Essa classificação divide os vinhos em 03 categorias: Crus Bourgeois Exceptionnels (9), Crus Bourgeois Supérieurs (87) e Crus Bourgeois (151).

Crus Bourgeois Exceptionnels

Ch.Siran (Margaux);
Ch.Labégorce-Zédé (Margaux);
Ch.Haut-Marbuzet (Saint Estèphe);
Ch.Les Ormes de Pez (Saint Estèphe);
Ch.de Pez (Saint Estèphe);
Ch.Phélan-Ségur (Saint Estèphe);
Ch.Potensac (Médoc);
Ch.Chasse-Spleen (Moulis);
Ch.Poujeaux (Moulis).

Ainda em 1855, a classificação também atendeu à região de Sauternes-Barsac.

Premiers Grand Cru

Ch.d’Yquem.

Premiers Crus

Ch.Climens;
Ch.Clos Haut-Peyraguey;
Ch.Coutet;
Ch.Guiraud;
Ch.Lafaurie-Peyraguey;
Ch.Rayne-Vigenau;
Ch.Rabaud-Promis;
Ch.Sigalas-Rabaud;
Ch.Rieussec;
Ch.Suduiraut;
Ch.La Tour-Blanche.

Deuxièmes Crus

Ch.Broustet;
Ch.Caillou;
Ch.d’Arche;
Ch.de Malle;
Ch.Doisy-Daêne;
Ch.Doisy-Dubroca;
Ch.Doisy-Védrines;
Ch.Filhot;
Ch.Lamothe (Despujols);
Ch.Lamothe (Guignard);
Ch.Myrat;
Ch.Nairac;
Ch.Romer;
Ch.Romer-Du-Hayot;
Ch.Suau.

Em 1953 (reeditado em 1959), a região de Pessac-Léognan se separou de Graves e recebeu a demarcação dos seus vinhedos (crus).

Crus Classés

Ch.Haut-Brion;
Ch.Boscaut;
Ch.Carbonnieux;
Ch.Dom.de Chevalier;
Ch.Fieuzal;
Ch.Haut-Bailly;
Ch.La Mission Haut-Brion;
Ch.La Tour Haut-Brion;
Ch.La Tour-Martillac;
Ch.Malartic-Lagravière;
Ch.Olivier;
Ch.Pape-Clément;
Ch.Smith Haut-Lafite.

Em 1954 a região de Saint-Emilion recebeu a demarcação dos seus vinhedos (crus). A cada 10 anos é feita uma nova avaliação. A classificação dos melhores é: Premier Grand Cru (“A” e “B”), Grand Cru Classé e Grand Cru.

Premiers Grand Cru “A”

Ch.Cheval Blanc;
Ch.Ausone.

Premiers Grand Crus “B” (1996)

Ch.Beauséjour-Duffau-Lagarosse;
Ch.Belair;
Ch.Canon;
Ch.Clos Fourtet;
Ch.Figeac;
Ch.La Gaffelière;
Ch.Magdelaine;
Ch.Pavie;
Ch.Trotevieille;
Ch.L’Angélus;
Ch.Beau-Séjour-Bécot.

Pomerol

É uma denominação muito pequena que ainda não possui uma classificação. Mesmo assim, produz alguns vinhos realmente excepcionais, tais como:

  • Petrus;
  • Ch.Le Pin;
  • Ch.Trotanoy;
  • Ch.L’Évangile;
  • Ch.La Fleur-Pétrus;
  • Ch.Le Gay.

Mapa da Região de Bordeaux

Vinhos Degustados

  1. Château Maucaillou – Safra 2007 – Valor de referência R$ 128,00
  2. Château Camensac 5eme Cru Classe – Safra 2007 – Valor de referência R$ 180,00
  3. Château Fleur Cardinale – Safra 2007 – Valor de referência R$ 250,00
  4. Château Beychevelle 4eme Cru Classe – Safra 2007 – Valor de referência R$ 620,00

____

Até a próxima degustação!

Texto de André Monteiro.
Editado e publicado por Maicon F. Santos.

O conteúdo Vinhos de Bordeaux aparece primeiro em Guia do Vinho.